Olhe para esses prendedores

Tudo bem. São objetos que todo mundo usa para prender a roupa no varal, não sentir um mal cheiro qualquer e várias cositas más. Ou seja, mais uma daquelas ideias óbvias geniais da humanidade. Mas o propósito dessa postagem não é apresentar a utilidade dos prendedores. Aliás, isso nem é necessário dizer. Se torna redundante.

Então vamos lá! Há seis prendedores de cores diferentes na imagem. Esquerda para direita: verde, amarelo, laranja, rosa, roxo e azul. Alguém discorda? A não ser um daltônico e uma mulher que consegue enxergar trocentas tonalidades de uma cor simples, é claro. Eu vi essas cores e você também.

Um dos maiores imbróglios que minha cabeça ainda não pôs em ordem é  essa questão das cores. O azul que vejo é o azul que outra pessoa vê? Talvez ela veja o azul dela como eu vejo o meu verde. Antes que pense qualquer bobagem, isso não é daltonismo! Pode ser complicado de início, mas é só pela estranheza do assunto.

Será mesmo realmente amarelo o sol e azul o céu? Por que não ser lilás, vermelho…? Cego – Móveis Coloniais de Acaju

Me deixa tentar explicar melhor. ISSO é roxo para mim e para todos. Toda criança aprendeu que ISSO tem nome de roxo. Mas ela pode ver ISSO da maneira que aprendi que ISSO é verde. Não tem como descrever as cores. É impossível. Podem dizer que o amarelo é a cor do ouro, da gema do ovo. Isso é fazer comparações, não é pegar um lápis e escrever a forma de uma cor ou desenhá-la. Diretamente ou não, ela é sempre vinculada a algo material. Basta procurar no dicionário e entender o que digo.

Já li sobre a frequência das cores. Em um laboratório é possível identificar tal cor pela sua frequência. E quem garante que os olhos de 6 bilhões de pessoas identificam essas frequências de modo igual? Pode ser que sim, ué. Então pensei nos transplantes de retina. Se é ela quem capta as imagens, o transplantado iria perceber a mudança no mesmo instante. Mas não. A captação da luz pela retina não é o fim do percurso. A luz ainda é transformada em impulsos nervosos que atingem o cérebro. Ou seja, não é o seu olho que vê, é o seu cérebro.

Não faz sentido?

Anúncios

8 Respostas para “Olhe para esses prendedores

  1. Partindo do princípio que somos fisicamente iguais, é provável que vejamos cores de formas iguais. Talvez haja pequenas diferenças na forma de como vemos as cores, entre pessoas com muita diferença de idade.
    Entre animais diferentes talvez as cores sejam vistas de formas bem diferentes.

    • Já parou pra pensar que as cores não têm propriedades físicas no mundo? As cores não “existem”! Me entende? São ilusões criadas no nosso cérebro.

      • Não! As cores têm propriedades físicas, sim.
        A luz é uma onda eletromagnética dentro de uma gama de frequências. Estas frequências são as responsáveis pelas cores. Cada cor tem um comprimento de onda, próprio. Nossos olhos decodificam estas frequências que chegam à retina, transformando-as em estímulos eletroquímicos, que seguem ao cérebro.

      • Não sou especialista no assunto, mas boralá… Frequência é uma grandeza ondulatória que indica o número de ocorrências de um evento em um intervalo de tempo. Concordo que cada cor tenha sua frequência, mas isso não significa que a cor seja uma partícula. O fóton pode ser uma partícula, mas a cor não. Posso estar errado, porém é esse meu pensamento.

      • Olá Caio:
        Incidentalmente me deparei, novamente, com seu blog, e, vendo sua resposta, resolvi tecer mais alguns fios.

        O fóton é a luz propriamente dita. Ou seja:
        A luz possui em cada onda, dois componentes (um elétrico e outro magnético), e com um ângulo transversal ao eixo, de noventa graus entre eles. Isso é o que constitui o fóton.
        A fotossíntese, por exemplo, é a materialização da luz, quando recebe o “cavalo” (seiva bruta) e dissocia estes dois componentes que, no Sol ou em outra fonte “material”, foram associados, e que consumiram materiais em sua formação.
        A natureza (cosmos), como um todo, é um grande pacote, onde nada se forma nem desaparece por si só, mas, apenas, trocam de estado.

        Todo esse “blá blá blá” é pra te dizer que Luz é matéria, sim.
        Luz é uma das formas de energia, e na energia está o princípio de todas as coisas materiais.

        A luz, o calor, e todas as outras formas de energia são manifestações materialistas de um “poder” que teve origem em Deus, e que formaram a todo este complexo universo.

  2. Eu sempre tive essa mesma dúvida. É bom encontrar alguém que se questiona da mesma forma que eu.

  3. adorei seus imbróglios.

  4. Caio meu primo, que orgulho de vc, parabéns quero ler um livro que vc publicou, livro seu, lindo seus textos, amei. Parabéns! Amo vc. Beijos! Sua´prima Livia

Já pode comentar...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s